Dez Razões Para Morar em Portugal

  •  
  •  
  •  
  • 0
  •  
  •  
  •  

Na perspetiva das “brasileiras pelo mundo” um espaço de mulheres para mulheres, encontrámos um artigo , escrito Lyria Reis, que pretendemos partilhar com os visitantes do nosso site,

Morar em Portugal

Mudanças

Viver em Portugal

NOTICIA

Muita gente pensa em Portugal como o país do bacalhau e do vinho, não é mesmo? Pois é, mas Portugal é muito mais que isso e tem muitos motivos que nos fazem viver por aqui. Vou contar um pouquinho para vocês.

1 – O tamanho do país:
Portugal é um país pequenino com pouco mais de 92.000 quilômetros quadrados. Em pouco tempo podemos viajar pelo país e ver muitas coisas mas, para conhecer mesmo, só vivendo aqui. Há tanta história em cada cantinho e tantas paisagens bonitas e diferentes em cada região que só quem mora no lugar pode aproveitar. E além de Portugal continental, os arquipélagos da Madeira e dos Açores são muito bonitos e merecem serem visitados. Podem ver um pouquinho da cidade da Horta, na Ilha do Faial aqui nesta foto.

2 – O clima:
Portugal tem um clima agradável na maior parte do ano com inverno chuvoso e verão seco. O sul do país (Algarve) é a região mais quente com temperatura média de 13 graus no inverno. Na região de Lisboa, em janeiro, no mês mais frio do inverno, a temperatura média ronda os 8 graus. Considerando o norte da Europa, Portugal tem um clima fantástico e muitos outros europeus como alemães e ingleses compram casa no Algarve para viver a sua aposentadoria. E ainda tem a Serra da Estrela onde neva muito no inverno e está a pouco mais de 200 Km de Lisboa. Portanto, temos clima e temperatura para todos os gostos.

3 – As praias:
Com um clima desses, com verão quente, só temos que aproveitar as praias. A costa portuguesa em Portugal continental tem mais de 900 Km de extensão e muitas praias para se aproveitar. O Algarve tem a água do mar mais quentinha podendo atingir os 23 a 24 graus no verão.

4 – A história e a cultura:
Para quem gosta de história tem sempre algumas ruínas romanas, algum castelo e algum palácio para visitar. E na maior parte do país, e não somente nas grandes cidades como Lisboa e Porto, há sempre algum evento acontecendo. Às vezes são tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que fica até difícil escolher. Ah, e tem também as festas de verão. Embora o clima do país não seja muito mal, é a partir de maio e no verão que acontece a maioria das festas das cidades. Em junho temos as festas de Lisboa, de Oeiras, de Évora, em agosto as festas de Cascais, em setembro a feira de São Mateus em Viseu, a feira mais antiga da Península Ibérica e já tem mais de 600 anos de história, além de tantas outras nas cidades menores.

5 – Música:
O fado é a tradicional música portuguesa e foi considerado patrimônio da humanidade. Amália (já falecida) é a mais famosa fadista portuguesa. Carlos do Carmo ganhou o Grammy este ano na categoria “Lifetime Achievement” pelo conjunto da sua obra. Muitos outros fadistas mais novos continuam a cantar este estilo musical tão português. É, mas Portugal não vive só de fado. Tantos outros artistas portugueses produzem muito boa música por aqui. É só ouvir!

6 – A educação pública:
É gratuita e de qualidade para todas as crianças e jovens desde a pré-escola até ao ensino médio e obrigatório dos 5 aos 18 anos de idade. O Ministério da Educação tem desenvolvido vários projetos e programas de promoção do sucesso escolar e o país tem progredido acentuadamente nos “rankings” mundiais, encontrando-se atualmente já próximo dos países da frente. Estes resultados foram obtidos através de grandes investimentos em formação de professores, nos edifícios escolares, na introdução de tecnologias no ensino e um apoio acrescido aos alunos que revelam dificuldades de aprendizagem. Todas as escolas oferecem aos alunos esporte, bibliotecas escolares bem equipadas e laboratórios para o ensino das ciências. Todas as crianças começam a aprender inglês aos 8 anos e uma segunda língua estrangeira a partir dos 12. E, além de tudo, um estudante não precisa estudar em escolas particulares para entrar nas Universidades públicas.

7 – O Serviço Nacional de Saúde:
O SNS atual foi criado em 1979. Desde então muita coisa melhorou na saúde portuguesa e os indicadores de saúde revelam. Basta ver a taxa de mortalidade infantil que abaixou de 24,3 em 1980 para 2,9/1000 nascidos vivos em 2013. O SNS é regulado por taxas moderadoras mas estão isentos de pagamento os desempregados, as crianças até 12 anos, pessoas com baixa renda, grávidas e parturientes, entre outros. Como em todo sistema de saúde, pode ser que você encontre defeitos mas, em geral, funciona bem!

8 – Transportes públicos nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto:
Essas duas cidades concentram a maioria da população residente em Portugal e suas áreas metropolitanas são servidas por uma ampla rede de transportes que incluem ônibus (autocarros), bondinhos (elétricos), trens (comboios) e ainda barcos. É possível ir de comboio de Lisboa a Cascais (30 Km) em 30 minutos apreciando o oceano Atlântico. Muito bom, não é mesmo?

9 – A segurança:
Portugal é um país seguro e a criminalidade tem diminuído ao longo dos anos. Infelizmente ainda existe mas, de acordo com os Relatórios de Segurança Interna, de 2012 para 2013 houve uma redução de 6,9% na criminalidade global que ocorreu no país. Uns dos maiores problemas são furtos em automóveis e dirigir com taxa de álcool no sangue acima da permitida.

E para concluir vou falar dos famosos:
o bacalhau e o vinho.

10 – A gastronomia:
A comida em Portugal é muito boa, variada e barata e, se você gosta de comer bacalhau e beber vinho, chegou ao paraíso. Em Portugal diz-se que existe uma receita de bacalhau por cada dia do ano (mas tenho certeza que existe mais). Você pode comer bacalhau à Brás, com natas, à lagareiro, à Gomes Sá, feijoada de bacalhau, etc. De acordo com estatísticas recentes, cada português consome 6 quilos de bacalhau por ano.

Além do bacalhau também temos feijoada (diferente da brasileira), cozido à portuguesa, carne de porco à alentejana, açordas, excelentes peixes e mariscos e ainda tantos outros pratos típicos e deliciosos. E a famosa sardinha assada!

No que diz respeito aos vinhos, Portugal é um grande produtor e muitos vinhos portugueses já ganharam prêmios internacionais. De acordo com a Revista de Vinhos, em 2012 o país produziu 630 milhões de litros e a região que mais produziu foi a do Douro. Há excelentes vinhos produzidos no Douro, no Dão, no Alentejo, na Bairrada, todas regiões produtoras. Há também os excelentes vinhos licorosos como o do Porto e o Moscatel de Setúbal. Há vinhos para todos os gostos e bolsos e até tem vinhos em embalagens tetrapak por menos de 1 euro o litro. Mas, esqueça estes.
Há bons vinhos a partir de 3 euros a garrafa. Acredite!

Ficou com vontade?
Então venha experimentar um pouco da terrinha passeando por aqui.


Fonte: brasileiraspelomundo  em 16/10/2014
Autora do texto: Lyria Reis

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Categories